Iorana Korua/Koho-Mai/Bem-Vindo/Yaa'hata'/Che-Hun-Ta-Mo/Kedu/Imaynalla Kasanki Llaktamasi/Tsilugi/Mba'éichapa/Bienvenido/Benvenuto/Yá´at´ééh/Liaali/Bienvenue/Welcome/Kamisaraki Jillatanaka Kullanaka/Mari Mari Kom Pu Che/Etorri/Dzieñ Dobry/Bienplegau/Καλώς Ήρθατε/ Kamisaraki Jillatanaka Kullanaka/Sensak Pichau!!

Meu compromisso é com a Memória do "Invisível".

Pelo direito a autodeterminação dos povos e apoiando a descolonização do saber.

Ano 5523 de Abya Yala

523 anos de Resistência Indígena Continental.

JALLALLA PACHAMAMA, SUMAQ MAMA!

Témet timuyayaualúuat sansé uan ni taltikpak
Nós mesmos giramos unidos ao Universo.
Memória, Resistência e Consciência.

25.10.09

Enterrem meu coração na curva do rio- 0 livro de Dee Brown

Photobucket

 foto autor desconhecido

Bury my Heart at Wounded Knee


É um dos livros mais importantes da minha vida porque foi nele que tive a dimensão da destruição do massacre sofrido pelos povos originários de todo o Continente Americano como descobri o que teria que fazer o resto dos meus dias que é defender a Causa Indígena.
Foi publicado pela primeira vez em 1970, traduzido para dezessete línguas e vendeu quatro milhões de exemplares em todo o planeta.
Dee Brown, um dos maiores especialistas em história norte-americana, mudou para sempre o modo do mundo ver a conquista do velho oeste e a história do extermínio dos Indígenas que habitavam a América do Norte porque desmistificou a visão hoolywoodiana dos "mocinhos corajosos e bons" (sic) contra os malvados de "pele vermelha".
Todos os fatos relatados no livro são reais e possuem fontes históricas confiáveis.


Fizeram-nos muitas promessas, mais do que posso lembrar, mas eles nunca as cumpriram; menos uma: prometeram tomar nossas terras e as tomaram.  
NUVEM VERMELHA, dos Sioux Oglala Teton.

Onde estão hoje os Pequots? 
Onde estão os Arragansetts, os Moicanos, os Pokanokets e muitas outras tribos outrora poderosas de nosso povo? 
Desapareceram diante da avareza e da opressão do Homem Branco, como a neve diante de um sol de verão.
Vamos nos deixar destruir, por nossa vez, sem luta, renunciar a nossas casas, a nossa terra dada pelo Grande Espírito, aos túmulos de nossos mortos e a tudo que nos é caro e sagrado? 
Sei que vão gritar comigo: 
Nunca! Nunca!"
TECUMSEH, dos Shawnee

De quem foi a voz que primeiro soou nesta terra? 
A voz do povo vermelho que só tinha arcos e flechas ...
O que foi feito em minha terra, eu não quis, nem pedi; os brancos percorrendo minha terra ...
Quando o homem branco vem ao meu território, deixa uma trilha de sangue atrás dele ...
Tenho duas montanhas neste território - as Black Hills e a montanha Big Horn. Quero que o Pai Grande não faça estradas através delas. Disse estas coisas três vezes; agora venho dizê-las pela quarta vez.
MAHPIUALUTA (Nuvem Vermelha), dos Sioux Oglala

Photobucket

E-Mail

Postagens populares

Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros."