Iorana Korua/Koho-Mai/Bem-Vindo/Yaa'hata'/Che-Hun-Ta-Mo/Kedu/Imaynalla Kasanki Llaktamasi/Tsilugi/Mba'éichapa/Bienvenido/Benvenuto/Yá´at´ééh/Liaali/Bienvenue/Welcome/Kamisaraki Jillatanaka Kullanaka/Mari Mari Kom Pu Che/Etorri/Dzieñ Dobry/Bienplegau/Καλώς Ήρθατε/ Kamisaraki Jillatanaka Kullanaka/Sensak Pichau!!

Meu compromisso é com a Memória do "Invisível".

Pelo direito a autodeterminação dos povos e apoiando a descolonização do saber.

Ano 5523 de Abya Yala

523 anos de Resistência Indígena Continental.

JALLALLA PACHAMAMA, SUMAQ MAMA!

Témet timuyayaualúuat sansé uan ni taltikpak
Nós mesmos giramos unidos ao Universo.
Memória, Resistência e Consciência.

27.10.08

Os Mbyá Guarani

Photobucket

Jegakava Tenonde Porangue’ í *

Mbyá, Mbya ou embiá (em Português) é a denominação de um dos povos Guarani, que habita o Paraguai, Brasil, Argentina e Uruguai.

Os Mbyá Guarani pertencem uma das atuais parcialidades étnicas , no Brasil, dos Guarani, juntamente com os Kaiowá e os Ñandeva. Lingüísticamente são classificados como pertencentes ao tronco Tupi, família Tupi-Guarani, língua Guarani. Diferenciam-se entre si por especificidades de ordem sociocultural e por diferenças dialetais. É a partir do acréscimo de “elementos de identidade sociocultural” às três divisões da língua Guarani, que se pode caracterizar os Ñandeva, os Kaiowá e os Mbyá em parcialidades étnicas. No Rio Grande do Sul existem cerca de 2.500 indígenas Mbyá-Guarani, vivendo entre acampamentos de beira de estrada, áreas desocupadas pelo estado e terras reconhecidas.
São extremamente espirituais e seguem as mensagens de Nhanderú (deus), eles buscam o que acreditam ser a "Terra Sem Males", um lugar onde não falta caça, pesca e muita paz. A sua procura, localizada no imaginário dos Guarani, para além do Atlântico, por si só, não minimiza as responsabilidades dos brancos sobre os poucos espaços territoriais que sobraram para esses índios. A sua perambulação, organizados em pequenos grupos familiais, por estradas e rodovias do Sul e Sudeste do país, é uma face trágica dessa diáspora.
Movimentam-se bastante, transitando entre aldeias e até mesmo entre países como Argentina e Paraguai (nestes países existe um grande número de Guarani).
Os Guarani Mbyá mantém sua língua viva e plena, sendo a transmissão oral o mais eficaz sistema na educação das crianças, na divulgação de conhecimentos e na comunicação inter e entra aldeias, constituindo-se a língua no mais forte elemento de sua identidade. Poucos Mbyá falam o português com certa fluência. Crianças, mulheres e velhos são, em grande parte, monolíngües. As Histórias Mbyá são constituídas de metáforas e são parte da tradição oral passada de pai para filho.
O que determina o nome de uma criança Guarani é justamente a região de onde vem a alma, não sendo jamais uma decisão arbitrária dos pais. É com base no "lugar de onde vem a alma" que o nome será constituído. E, ao saber sua origem, que sempre é dada pelo próprio filho por meio de sonhos, os pais também saberão suas qualidades e características individuais. Cada região do "zênite" possui determinados aspectos, assim como seus moradores. A origem do nome permite prever um pouco do percurso futuro dessa criança que ainda sequer nasceu, seus gostos, jeito de ser e possíveis caminhos a serem percorridos.
Quando a criança não possui nome, está sujeito à cólera, raiz de todo o mal. "Somente quando se chame pelos nomes que nossos pais da palavra lhe damos, deixarão de encolerizar-se." Este nome é parte integrante da pessoa e é designado com a expressão 'ery mo' ã a', "aquele que mantém de pé o poder de dizer". (Cadogan, 1992)

As crianças são educadas sem repressão e passam por vários rituais de iniciação até atingir a fase adulta.
Além da linguagem usual (ayvu), os Mbyá conservam uma linguagem ritual, extremamente elaborada, ayvu porã, expressão traduzida por “belas palavras”, revelada pelas divindades aos dirigentes espirituais e pronunciada em ocasiões especiais. Os discursos assim proferidos contém um vocabulário peculiar e fazem menção a conceitos especiais de ordem mítica e, em geral analisam uma situação atual.

*Para saber mais:
Guarani Argentina:
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-32622002000100004&script=sci_arttext
Léxico Guarani-Dialeto Mbyá: http://orbita.starmedia.com/~i.n.d.i.o.s/dooley/intr.htm
Guarani no Sul do Brasil:
http://www.sinpro-rs.org.br/extra/out98/movim1.htm
Wikipedia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mby%C3%A1

Guarani Paraguai: http://www.staff.uni-mainz.de/lustig/hisp/guarani.html

Jeguakava Tenonde Porangue’ í = ("os primeiros escolhidos para levar o adorno sagrado de plumas" ou "os primeiros adornados.


E-Mail

Postagens populares

Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros."