Iorana Korua/Koho-Mai/Bem-Vindo/Yaa'hata'/Che-Hun-Ta-Mo/Kedu/Imaynalla Kasanki Llaktamasi/Tsilugi/Mba'éichapa/Bienvenido/Benvenuto/Yá´at´ééh/Liaali/Bienvenue/Welcome/Kamisaraki Jillatanaka Kullanaka/Mari Mari Kom Pu Che/Etorri/Dzieñ Dobry/Bienplegau/Καλώς Ήρθατε/ Kamisaraki Jillatanaka Kullanaka/Sensak Pichau!!

Meu compromisso é com a Memória do "Invisível".

Pelo direito a autodeterminação dos povos e apoiando a descolonização do saber.

Ano 5523 de Abya Yala

523 anos de Resistência Indígena Continental.

JALLALLA PACHAMAMA, SUMAQ MAMA!

Témet timuyayaualúuat sansé uan ni taltikpak
Nós mesmos giramos unidos ao Universo.
Memória, Resistência e Consciência.

11.6.09

Grave Denúncia: Massacre em Bagua no Perú.

Ya basta !

Depois de incluir mais de 70 % da selva amazônica em concessões para a explorações de todos os tipos, incluindo a maior parte dos territórios indígenas, sem realizar nenhum tipo de consulta, o governo peruano planejava levar adiante o decreto lei 1090-Lei Florestal e da Fauna e Flora- que reduz a definição de Patrimônio Florestal e permitiria que 45 milhões de hectares de terras com floresta (60% da Amazônia peruana passariam a empresas privadas e com isso trazendo a destruição maciça da selva e dos povos indígenas que ali habitam.
Alan Garcia (presidente do Perú) possui uma  visão delirante de desenvolvimento para a floresta que apresenta a maior diversidade do planeta em termos biológicos e culturais. Segundo ele, existe a necessidade de fazer o país progredir em todos os sentidos buscando a adequação ao Tratado de Livre Comércio (TCL) firmado com os Estados Unidos. (sic)
É óbvio que os indígenas amazônicos  e suas organizações estavam totalmente contra esta visão deturpada de progresso e resistiram defendendo os seus modelos de desenvolvimento sustentáveis e da floresta com suas próprias vidas.
Ainda segundo Alan Garcia, os indígenas são selvagens, "perros del hortelano" (não fazem e nem deixam fazer) e cidadãos de segunda classe porque são inimigos da modernidade. (sic)
Com o decreto lei 1090, que havia sido declarado inconstitucional pelo Congresso da República e da Defensoria do Povo, -mas sem resposta do governo- os povos indígenas se mobilizaram pcificamente em toda a Amazônia fazem mais de 50 dias. Nesse contexto, Os Awajun  e os Wampi bloquearam uma estrada em Bagua ao norte do Peru e foram atacados covardemente pelas forças armadas no dia 5 de julho.
Nos enfrentamentos armados morreram um número de indígenas muito alto mas até agora nenhuma informação  coerente foi dada por parte do governo ou das forças armadas.
Segundo testemunhas, os policiais e o exército fizeram desaparecer dezenas de corpos de indígenas que foram queimados e largados dentro do rio com helicópeteros para ocultar a dimensão do brutal massacre.
O governo acusa os indígenas de haver iniciado os ataques, afirma que estão associados com o Sendero Luminoso e que foram manipulados pelos governos da Bolívia e da Venezuela. (sic)
O lider da AIDESEP (Coordenação Nacional Indígena Amazônica) está pedindo asilo político por haver sido acusado pelo governo de ser responsável pelas mortes.
Até agora a voz dos indígenas que sofreram o ataque não foram escutados na maior parte da imprensa nacional e internacional. 
Frente a versão "oficial" do governo aqui estão as provas de quem começou o ataque, assim como da brutalidade do mesmo. Os vídeos abaixo mostram o testemunho presencial de indígenas e não indígenas que fizeram parte de mais esta vergonha para a humanidade.
Por favor, divulguem os vídeos. Precisamos dar voz aos povos amazônicos que estão sendo massacrados.







Porque protestam os povos amazônicos?
Mais informações:
http://www.survival.es/noticias/

E-Mail

Postagens populares

Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros."